<$BlogRSDUrl$>

Um blog para todos os portugueses que se queixam da vida, num diário de uma Ex-jornalista que ... contava porcos como actividade profissional!! E como a vida nem sempre é tão cor-de-rosa como gostaríamos que fosse... Que o seja pelo menos aqui!

30 dezembro 2003

Um voto de confiança.... Impagável 

Há meia noite de hoje, o meu marido acordou-me para me dar o meu presente de aniversário.

Apeteceu-me chorar quando o abri...

Ao oferecer-me um micro-gravador, estava, à sua maneira, a dar-me o seu voto de fé...
De que a minha vida jornalística não acabou e que, apesar da crise que hoje se vive, temos que nos armadilhar para o futuro que nos aguarda...

E este voto de fé, dado na hora zero de mais um ano, é, foi e será, impagável...

É por esta, e por muitas outras razões, que se casa por amor, e por nada mais...
Porque nada mais interessa.

Publicando o impublicável... 

Eu tenho amigos tímidos.

Pode-se apresentar isto como uma dupla novidade:
Primeiro, porque SIM, EU TENHO AMIGOS!!!!;
Segundo, porque além de toda a minha lata, também tenho amigos tímidos.

Xau, duas revelações logo de uma vez, isto hoje promete...

E os meus amigos tímidos, ou que ainda não perceberam como é que se usa esta coisa do shout out, enviam-me mensagens para o telemóvel...
Não , 'migos, 'cês não são burros, só não gostam de escrever para locais públicos, não era?

Digo "era", porque hoje vou publicar duas mensagens que merecem ser lidas por toda a gente:
Primeiro, porque sim;
Segundo, porque eu hoje faço anos e elas dizem bem de mim ;-))

Então, aqui vai disto:

Diamantino:
«Parabéns gaja. Desejo-te um dia muito feliz. Adorei o teu presente para o Pedro. Bjos e dorme bem.»
Tudo o que concerne o meu marido é digno de ser publicável.... Bem, nem tudo... Mas isso, vocês já sabem...

A mensagem da Paulinha e do Carlinhos foi ... é, demais, mas estes são os tais que não devem saber usar o shout out:
«Fiquei muito emocionada com a nossa prenda de Natal. Muito obrigado por existires na nossa vida».

Esta era uma das mensagens. Oh 'miga, cuidado com o que desejas que eu posso ser muito chata. Basta perguntares ao Nanas sobre sábado passado...

«Neste dia não podia deixar de te desejar as maiores felicidades do mundo, pois só podemos estar agradecidos por termos o privilégio de ter uma amiga tão especial. Com muitos beijinhos, Paula e Carlos».

Pois é, hoje tou-me a blobar, ou seja, estou a blogar babando-me pelos amigos que tenho.

Também recebi uns postais giríssimos, mas aí, a burra sou eu e não sei como colocá-los aqui...

Para os que me lêem.... Brigados.

Aos outros, tenho um feeling que me estão a "fazer a cama"...

29 dezembro 2003

Ao meu melhor amigo... De hoje e para sempre... 

Hoje sinto-me comprimida....
Como se estivesse zippada e precisasse de um Unzip para descomprimir...

Se for preciso, começo já a clicar em tudo quanto me pergunte se concordo ou não...

Não sei se é sentimento de pós-festividades, se o que é que é... Mas não me sinto bem.

É como se hoje o nome do blog me pesasse no corpo e na alma... Não chego a estar Porca da Vida, mas é como se estivesse afundada em toda a m.... do mundo!!!

Há dias assim, não é?
E, se calhar, nestes dias, nem devia escrever nada, porque isto está suposto ser um blog de crónicas que nos façam esquecer o nosso dia-a-dia, e não descrições do meu dia-a-dia que ponham ainda mais o pessoal em baixo...

Se calhar, é apenas uma depressão pré-aniversário. Costuma atacar-me todos os anos...

Mas, este ano, ainda nem me dei ao trabalho de fazer um balanço anual...
Até porque trabalho, é coisa que não me tem faltado...

Nestas alturas, está suposto interrogar-mo-nos sobre as nossas conquistas e derrotas de mais um ano que nos pesa na idade.
Não é que a minha idade tenha muito peso, mas não me apetece fazer balanço nenhum...

Sei que ganhei mais amigos, mais respeito, mas também mais inimigos, aos quais nada fiz para conquistar tal inimizade...

Estou mais responsável, mais rabugenta, mais cansada, mais chata, mais redonda...

Tenho um cão novo...

Tenho o melhor amigo do mundo...

Aquele que se deita ao pé de nós até adormecermos;

Que nos vai buscar um copo de água e dois analgésicos quando estamos com dor de cabeça;

Que tem a cama feita quando chegamos a casa;

Que faz o jantar sem perguntar nada quando, só pela nossa cara, sabe que o dia não correu bem;

Que houve as nossas queixas, mesmo sabendo de antemão que são as mesmas de sempre;

Que nos apoia sempre que temos razão e discute civilizadamente quando tem de nos fazer ver as verdades;

Que não responde a raspanetes e arranques de mau feitio, porque sabe que, um amigo, por vezes, também é o nosso saco de boxe;

Que se transforma em sarcófago, quando lhe revelamos um segredo;

Que nos dá um beijinho de boa noite e nos recebe ao fim do dia com um entusiástico "OLÁ!!!"...

Que bom que é ter um melhor amigo que nos ajuda a descomprimir quando estamos zippadas;

Que bom quando o nosso melhor amigo, aquele amigão, é, à sua maneira, o nosso marido, super-maridão.

O meu tem um nome: Chama-se Pedro Militão e, em vésperas do meu aniversário, este é o meu presente para ele.


27 dezembro 2003

Conversas ao jantar 

N. - Estás com frio?
S. - Não.
N. - Mas pareces um bocado arrepiada...
S. - É da senhora que está no "Quem Quer Ser Milionário".... Olhar para ela até arrepia!!!
N. - Fogo, a gaja é mesmo feia! Onde é que foram desencantar aquilo?
S. - Feia é favor. Já vi gente mais bonita no site Ugly.People.Com...
T. - Não sejam assim!! Vocês são tão maus!! Aposto que a senhora é daquelas que tem um grande coração!!
S. - Pois, mas quando for mais velha, ter um coração maior que a caixa trazer-lhe-á muitos problemas respiratórios e não só...

Moral da história: Podemos ser muito feias e ter um grande coração, mas corações grandes, quando somos velhos, são a primeira causa de morte.

Esta conversa não é ficionada.
As pessoas em causa não estavam alcoolizadas.
A mulher era mesmo muito feia.
Os intervenientes não são nenhuns modelos de beleza, mas têm corações de tamanho normal, fumam muito e hão-de morrer quando tiver que ser...

A moral da história é da responsabilidade do blog...

26 dezembro 2003

Não escrevo livros... Só me queixo!! Abaixo a interrupção de música com info sobre o trânsito! 

Hoje perguntaram-me porque é que não escrevia um livro ao invés de escrever num blog.

As coisas não são assim tão fáceis. Afinal, nem para um jornal eu consigo escrever sem ser a troco de nada. Por isso, resolvi dar, a quem quiser, o melhor de mim: a minha escrita.

Assim mesmo, dar.

É claro que eu podia escrever uma verdadeira enciclopédia, dividida por temas, em que narraria todos os episódios mais hilariantes e caricatos da minha vida: família, amigos, a minha época de estudos em Braga e todas as aventuras...

Mas isso sairia muito caro e não interessaria a ninguém... Talvez apenas aos intervenientes, que poderiam até sentir-se lesados com o tom irónico da escrita...

Claro que é muito mais fácil escrever sobre coisas que não atingem ninguém directamente e que, ao mesmo tempo, dizem respeito a todos nós...

Como escrever sobre porcos, por exemplo. Atinge directamente muita gente (Sorry, Boss!!!), mas também diz respeito a todos nós, que os comemos, não é?

Ou escrever sobre todas as porcarias que nos chateiam, como por exemplo, a informação de trânsito que dá a altos berros no rádio do carro, mesmo quando vamos a ouvir um CD.

Ora vamos lá ver: o que é que me interessa a mim, que moro em Leiria, que me interrompam a "ganda malha" dos Red Hot Chilli Peppers para me dizerem que a rotunda da Boavista, no Porto, está insuportável e que a ponte 25 de Abril está que não se pode??
Vá, digam lá o que é isso me interessa?!?!?

Mesmo que eu vá a caminho de um desses lugares, tenho o direito a escolher o que quero ouvir, ou não?
E quem é que programou o meu rádio para isto acontecer: foi o fabricante do carro?; do rádio?; ou foi uma cunhazita das rádios junto dos fabricantes???

Bem sei que se trata de um sistema que posso desactivar manualmente, mas quem é que o inventou? Terá sido mais uma daquelas pipas de massa gastas em prevenção rodoviária??

Se me interrompessem as melodias para me dizerem que, a partir de agora, acabaram-se impostos, que posso, a partir de Janeiro, continuar a mandar a minha beata pela janela, etc...
Aí sim, valia a pena, mas isso são temas para outras núpcias!!!

23 dezembro 2003

Faça da sua casa-de-banho a sua sala de visitas 


Hoje reparei numa coisa um bocado "pessoal e íntima": as casas de banho de cada um de nós.

Cá em casa, por exemplo, é normal alguém pedir licença para ir á casa de banho... E ter de ser chamado meia hora ou três quartos de hora depois.
É que o nosso WC de serviço tem vários extras, muito apreciados pelos nossos convidados: álbuns de sopas de letras, sopas de letras encriptadas, palavras cruzadas, revistas de futebol, algumas edições da Visão e... TCharan... um jogo electrónico de póquer.

É normal uma pessoa chegar lá e, depois.... Uns valentes minutos depois já nem se lembra do que foi lá fazer.

Verdade médico-científica é que este tipo de situações pode provocar complicações a nível hemorróidal, mas esta parte é só para quem dela sofre...

O nosso WC de serviço fica ao fundo do corredor da nossa casa, num hall que dá para todas as outras divisões, mas como temos também vários aromas à disposição do "cliente", isto faz com que o visitante, para além da distração proporcionada, ainda demore mais um tempinho a escolher o cheirinho que pretende deixar ao visitante seguinte.
É só rir!! Principalmente quando as esposas se sentem abandonadas e os namorados se sentem trocados pelo jogo de poquér, sempre que este sai do seu local habitual e vem até ao local de convívio do "pessoal"...

Mas, isto, é em nossa casa.

Em casa dos meus pais, por exemplo, o vício da leitura no WC é tão grande que o meu pai, quando se farta dos livros lá de casa, vai de lista telefónica atrás. Tudo serve para ler: até os rótulos dos produtos de higiene que estão por ali espalhados.
Por isso, não é de surpreender termos de procurar a pasta dos dentes em cima do caixote do lixo, ou o sabonete das mãos em cima do autoclismo...

Na casa-de-banho de serviço de um conhecido nosso, existe uma mini tabela de basquet e a respectiva bola. A ideia é super-gira... mas muito pouco prática para os que não conseguem acertar no cesto e fazer com que a bola regresse até nós...

E vocês, que novidades têm para contar ao blog em termos destas salas de visita?!?!?!

22 dezembro 2003

Presente envenenado: Gritos surdos! 

Cheguei a esta hora a casa, depois de um dia de trabalho daqueles bem fortes, depois de um jantar em família...

Cheguei a esta hora a casa e tirei da minha caixa de correio um monte de panfletos de publicidade. Retirei-o com todo o cuidado porque, normalmente, a nossa correspondência vem lá dentro.

Cheguei a esta hora a casa e tinha um postal dos CTT cujo remetente era... A Comissão da Carteira Profissional de Jornalistas.

Depois de ter chegado a casa, e de estar instalada em frente a este teclado, não sei o que sinto.

Se fique feliz, porque até ao final de 2005 posso exercer a minha actividade profissional legalmente, com um documento que comprova os meus anos de sacrifício enquanto estudante e estagiária....

Se fique triste, pois será apenas mais um cartão na carteira que, tal como o cartão anterior, vermelhinho e a dizer PRESS, não vai sair de lá por mais dois anos...

Se vos contasse as propostas absurdas que tenho recebido, em termos de trabalhos em jornalismo nos últimos dois anos, não sei bem se se iriam rir ou chorar como eu na altura chorei, juntamente com um chorrilho de asneiras que teriam de levar bolinha encarnada nos quatro cantos do monitor...

Desde jornais regionais desesperados por jornalistas com carteira profissional para terem direito a porte pago, até cadeias de televisão que propunham full times a troco de senhas de cantina... Sei lá... Propuseram-me do mais surreal possível...

Cheguei a esta hora a casa e penso agora em todo o capital que tenho investido em mim: 12 anos mais cinco de faculdade à custa dos meus pais; um par de anos em que sem eles não teria sobrevivido no jornalismo; 80 contos num curso de Formação de Formadores (que me permitiu ganhar umas coroas a dar aulas numa pós-graduação); a carta de condução tirada aos 25 anos, paga pelos pais; 500 contos numa pós-graduação de que ainda me falta entregar o trabalho final...

Ou seja, tudo isto para vos dizer que, depois de ter sido jornalista, voltei a estudar para mudar o rumo da minha vida.

Agora, que tenho mais uma carteira profissional de jornalista para levantar, dão-me ganas de gritar, de perguntar aos grandes senhores o porquê de não poder exercer a minha verdadeira profissão. PORQUÊ?????

É isto que eu sou: escrita. Não são televisões ou rádios... São palavras impressas, daquelas que mostram a verdade a nu e cru ou daquelas que ajudam alguém que só através de nós pode gritar...

E eu, com a minha nova carteira até 2005, grito para quem?? Quem ouve os meus gritos??
Quem me deixa fazer aquilo em que sou boa???
QUEM????

Mais uma carteira profissional, mais uma prova de fiz tudo o que era necessário para cumprir com as minhas funções sem, no entanto, falhar para com os meus deveres.

Antes gritos surdos do que vender a alma a troco de nada....

19 dezembro 2003

Prendas de Natal aos amigos 

Caros amigos:

Como todos sabem, o tempo é de crise e dinheiro é uma daquelas coisas tipo medidas populares do Governo: sol de pouca dura.

Por isso, resolvi oferecer-vos algo do que melhor sei fazer: escrever sobre todos vós... Ou, no mínimo, sobre os que me estão mais próximos.

Bem sei que ficariam mais contentes se eu soubesse pintar ou se tivesse geito para qualquer tipo de hobbie mais palpável. Mas como não é o caso... Levam com estas palavrinhas e... Uma esperança de que gostem.

Tenho tanto que dizer sobre vocês todos que o melhor é fazer isto tipo lista de supermercado, sem qualquer tipo de ordem ou grau de importância:

Pedro e Rita: Foram os primeiros a saberem da existência deste blog; os primeiros a nele serem mencionados (ainda que implicitamente).
O Pedro, amigo das nossas bocas e das bocas dos nossos amigos e famílias, foi, inclusivé, o primeiro comentador destes meus textinhos. Abençoado sejas, por entenderes todos os meus desesperos blogguianos e todos os outros aqui não mencionáveis. De boa í­ndole, tem bom ombro para oferecer a todos (e não só, mas isso são outras divídas...) e mesmo sem dormir é daqueles tipos que tem uma pica que não dá para entender... Com uns parcos anos a mais que eu, faz-me sentir quase como sua avó... Só ainda não lhe dei foi sopa. E o que ele gosta de sopinha!!!
A Rita chegou há relativamente pouco tempo à  minha vida. E, desde então, não pára de me surpreender. Grandes conversas, noite fora; daquelas que só se conseguem ter com outras mulheres; daquelas conversas que se têm até em silêncio... Porque nem que passem cem dias, ela sabe sempre ver como estou, mesmo que eu não diga nada. Se bem que, é verdade, a minha cara é como um espelho da minha alma...
Ela ainda não está bem convencida disso, mas quando eu tiver uns "tustos", é a ela que vamos encomendar o projecto da nossa casa. Dá-lhe nas maquetes, que nós não nos queixamos do cheiro a cola!!! Vê lá é se não te começas a viciar em "maquetes"...
Ah, só um último apontamento: veio cá experimentar a cheecha que trouxemos do Egipto e acabou por ficar com uma brutal constipação. Força amiga, que a minha mãe ainda lá tem muitas laranjas para te dar!!

Tina e Nanas: São os futuros papás do nosso grupo.
Mas a Tina há muito que á aquela irmã mais velha que os meus pais se esqueceram de fazer antes de mim. É linda. De todas as formas, humores e feitios. E é uma ganda maluca, que só acalmou por causa da Rita Miguel. Tem o poder de acalmar os amigos mesmo quando as suas vidas estão viradas do avesso três vezes. Recomenda-se ao invés do típico Xannax e outros afins. Programar é com ela e, grávida de oito meses, ainda mantêm três empregos. Viva a Super-Mãmã!
O Nanas é: o Homem-Musgo, a Espéce (é mesmo assim que se diz), o homem do "todazelas com z e tudo pegado". Enfim, a boa disposição e maluqueira em pessoa. Acima e apesar de tudo, é sempre o animador de serviço. E quero que saibas que, "apesar de tudo" e de não falarmos sobre isso, estamos aqui para te dar toda a força do mundo. Sempre que quiseres. Quando e onde precisares. Só não vamos assistir ao parto por ti.... Tu sabes do que estou a falar. Adoramos-te, imitador de cavalos marinhos, osgas e outros bichos imaginários. É pena é, estando casado com a Tina, ainda achares que não nos podes emprestar o Office porque ele está no teu computador e não sabes fazer cópia... Coisas de engenheiros!!

Nunito: Finalmente fez espanhol e o povo todo entrou em júbilo por saber que, assim, já não vai desistir de terminar o curso. É igual a ele mesmo: irrepetível, amigo do amigo. Ultimamente anda a curtir a sua namorada. E, uma vez mais, o povo entrou em júbilo por ter encontrado alguém impecável. A 100%! Jacinta, esta mensagem também é para ti. Jornalista daqueles que veste a camisola, e a camisola se transforma na própria pele, está neste momento entre empregos. Mas, quem quiser respirar um pouco de Ozono, vai até lá, que ele dá música ao povo. Foi com ele que estudei para as especí­ficas de Português, quando me candidatei à  Faculdade. E, desde aí­, "Creep", dos Radiohead, só sei cantar em português... Mas não é por ele. Força amigo, já só te falta o inglês!!

Tino e Dora: Foi ele que me meteu no mundo dos porcos. Traduzindo, foi ele que me deu emprego quando ninguém respondia aos meus mil currículos. Apostou em mim, como ninguém mais faria, para tarefas das quais desconhecia totalmente tudo. Só espero não o ter desiludido ao longo destes dois anos.
Antes de ser meu patrão, o Tino é e sempre foi, um grande amigo. Daqueles que despem a camisola para dar seja a quem for. A sua paixão por cães fez com que hoje tivessemos o Simão, um labrador chanfrado de todo, que faz amanhã três meses.
Só a paciência dele para me ouvir quando está cheio de trabalho até mais não, vale por tudo. Continua o bom trabalho, amigo. Butes fazer super-porcos!!!
E quem vai contribuir para que isso aconteça é a Dora. Que... ACABOU O CURSO E É A DRA. DORA ROCHA, VETERINÁRIA!!!! Foi das maiores felicidades que passaram por estes lados ultimamente, aliado ao espanhol do Nunito. Sempre caladinha, vem-se revelando uma boa amiga. Também, por vezes não sei se é ela que é caladinha se sou eu que falo demais... Ela é, pura e simplesmente, espectacular. E, uma das coisas que mais me emocionou até hoje, e que nunca vou esquecer, foi a minha primeira visita, com ela, a uma pecuária, e o amor e carinho com que ela tratava os bichos, que nós, restantes humanos, também amamos muito... mas no churrasco ou assados à  moda da Bairrada. É uma miúda marcante, só vos digo. Discreta, mas do Best. E do Sol, e da Selma, e do Lord...

Paulinha e Carlinhos: O modo como o Carlinhos entrou na vida da Paulinha, ainda é um grande mistério. Mas, como mais novo do grupo, é um puto atinado, cheio de ideias e a quem o trabalho não mete medo. Outro que tem um grande ombro sempre pronto a oferecer.. Mas, ao fim ao cabo, ele mede mais de dois metros, de certeza.
O que é certo, é que a nossa Paulinha refez a sua vida, engordou o suficiente para não parecer um esqueleto e continua a ser a mulher da vida de todos nós. Eu disse-lhe isso uma vez e acho que ela não ficou lá muito convencida. Mas agora escrevi-o e, o peso das palavras faz com a mentira não seja aqui um factor aceitável. Não mudes nunca, amiga, pois és mesmo a mulher dos sonhos de qualquer um... Mulheres inclusivé!

Sandrinha e Nuno: Parabéns pela vossa casa nova, onde agora até já se podem abrir os estores e tudo!!! OBA!!! Quando é que juntamos a nossas cheechas e inauguramos aquilo???
Desde que fomos 15 dias para a Holanda, as nossas vidas nunca mais foram as mesmas. A Sandrinha é uma miúda do mais eléctrico que há, o que nos faz pensar que, além de estar ligada à  corrente, tem pilhas Duracell como backup. Apesar de parecer muito distraída, e de dizer provérbios como, "pão, pão, sopa,sopa", sabe sempre quando é que alguém precisa dela, e lá se tira dos seus mil trabalhos nem que seja para mandar um sms de apoio. Brigada, miga.
O mais engraçado é que o Nuno foi a minha grande pancada de adolescente. E, mais engraçado ainda do que namorar com uma das minhas grandes amigas, é que é daqueles que falam pouco, mas quando dizem algo é sempre do mais acertado. Olha, se tivesse dinheiro, ia com vocês para a Sierra Nevada para me ensinares, a mim e ao Pedro, a fazer snowboard!!
Continuem, meus queridos, que eis chegado «o primeiro dia do resto das vossas vidas»!! Sim, porque isso acontece quando se assume um crédito à  habitação e não quando casamos...

Ao pessoal que trabalhou comigo no Notícias de Leiria: Migos, a coisa já esteve melhor. Mas também já conhecemos piores dias. Temos sempre que acreditar que o jornalismo não nos mata e que ninguém pode destruír o nosso sonho... Por muito que isso custe a engolir a pessoas tipo os nossos pais.
Seja o que for que estejam todos a fazer agora, os meus votos vão para o maior sucesso, para a continuação da vossa participação neste meu humilde blog... Porque, egoisticamente, os vossos comentários lembram-me das nossas conversas de redação. Que maluqueira!!! E que saudades!!!

Ao meu povo de Braga Vocês sabem quem são. Não aparecemos muito, falamos ainda menos, mas estão sempre comigo. Sempre que preciso de vocês, basta lembrar-me. Bem sei que prefeririam um telefonema, mas com a conversa que temos para por em dia, mais vale comprarmos a PT!! Tudo de bom para aqueles que foram a minha verdadeira família ao longo de cinco anos!! Pedgo, Nádia, Nessa, Cila... Sobretudo vocês, que moravam comigo.

Turma de Com-Soc 94 No dia em que me deram instruções para eu puder participar na vossa página, posso contar-vos mil coisas. Por agora, a minha prenda é que o fórum volte à  vida!! Me AGUARDEM!!!

Ao Pedro Pais e ao Tony Moura: Obrigado pelos vossos e-mails. Mas preferia que tivessem comentado aqui no blog!! Ganhem coragem e contem lá sobre as porcarias que vos atormentam. Pedro, boa sorte no agora renovado Notícias de Leiria.
Tony , tudo de bom, e que já tenhas convencido o teu filhote que a lareira não é um bom local para brincar!!!

Desculpem-me todos os que não pude mencionar.

Obrigado a todos os que posteriomente se fizerem recordar.

"Eu nunca parti; Simplesmente deixei de estar aí­... Mas estarei sempre onde me possas alcançar para, como uma boa amiga, todo o meu amor e apoio te dar".

Tenham um Santo Natal e desculpem ser esta a vossa prenda. Se não gostarem, ou se me esqueci de alguma coisa, usem o Shout Out.

Mil beijos e... aquele abraço.

18 dezembro 2003

E não se esqueçam.... 

... que os vossos comentários nunca ficam sem resposta.

Basta voltarem ao Shout Out do texto que comentaram para verem as vossas mensagens e as que vos são destinadas.

17 dezembro 2003

Ser voyeur em Portugal: um acidente 

Fartei-me de procurar nalguns dos dicionários cá de casa, mas já são tão antigos que nem contemplam o estrangeirismo voyeur. O que encontrei em dicionários online diz respeito àqueles que sentem prazer em observar os órgãos sexuais de outros ou actos sexuais de terceiros.

Muito bem, o voyeur de que vos vou falar não é nada disto.
É o típico voyeur português: o voyeur acidental.

O acidental tem aqui duas conotações muito diferentes que passo a explicar.

No primeiro caso, o acidente é de viação e o voyeur não é um, são vários: são os camelos que vão em fila indiana à nossa frente, a passo mais lento que o de caracol, em plena estrada nacional... Só para verem bem o acidente que aconteceu na via oposta!
São aqueles amantes da desgraça alheia, que nos fazem chegar atrasados ao emprego só para poderem passar o dia a comentar "a culpa foi da gaja, não viste onde ela tinha o carro? E, além do mais, é sabido que os camionistas são nossos amigos"!
Além do camionista ganhar uma conotação vegetal - a canção dizia "uma árvore um amigo" e não "um camionista, um amigo"... além de que não sei bem se não iremos presos por plantar camionistas... - a culpa é sempre da "gaja", e chegar tarde ao emprego tendo uma gaja ao volante como desculpa é ainda melhor!
Eu sei que este tipo de voyeurismo acidental tem a ver com o fado, aquela típica sina do povo cujo destino é cheio de desgraças e tristezas...
Mas, se isso vale para todos os portugueses, então porque é que ainda existem aqueles que só ficam contentes quando também podem ver o infortúnio dos outros???

No segundo caso, o português, distraído, - e por acidente - vai parar, de calções de banho e binóculos na mão, atrás da maior duna que existir numa praia de nudistas. Quando interrogado acerca disso, as respostas são sempre: "Juro que vim aqui parar por acaso, foi por puro acidente que dei com isto!!".
Estão a ver?? Mais um voyeur acidental.

Ao menos este, o de calções de banho, que tenha a coragem de confessar que leva os binóculos para observar a miséria alheia... Porque senão os do primeiro tipo, fartos de terem que se deslocar cada vez que há um acidente, ainda passam a andar de binóculos no carro para não perderem pitada...

16 dezembro 2003

Rotundamente hilariante... 

As rotundas são aqueles campos de futebol em forma de ovo, com uma pista de três faixas à  sua volta e onde vão desembocar muitas outras estradas.

Nesses campos de futebol costumam existir umas coisas estranhas, a que os presidentes de câmara chamam estátuas, caríssimas - e que ninguém entende - que muitas das vezes se assemelham a verdadeiras balizas ou a símbolos de cadeias mundiais como, por exemplo... Sei lá... A MacDonald's!

Outras vezes, nesses relvados de fazer inveja aos recentes estádios do Sporting, Porto e Leiria, existem flores, pedras e árvores que acabam por ser destruídas pelo primeiro "alcoolicamente distraído" que por lá passa depois da dita plantação do jardim...

Sendo que agora estamos todos elucidados quanto ao que é uma rotunda - os que já as viram de um avião afiançam que parecem raquetes de ténis com os cabos ligados entre si - passemos então a explicar para que servem.

Na verdade, as rotundas servem para tudo menos para descongestionar o trânsito, ou resolver algum suposto problema de tráfego existente em determinados locais.

Eis uma lista de várias coisas que se pode fazer numa rotunda:

1 - Transformá-la em paragem de transportes colectivos privados.
Os inventores desta modalidade foram os responsáveis de obras, que escolheram estas belas paisagens para ir recolhendo os trolhas até chegarem á  obra propriamente dita.
Para não arranjar problemas com o sector da construção civil, afianço que já vi carrinhas de colégios privados fazerem o mesmo.

2- Fazer ali o ponto de encontro depois de ter visitado aquele amigo que não vêmos há séculos. Saí­mos de casa dele e, assim que apanhamos uma rotunda, paramos todos em fila indiana ou, até mesmo, em segunda fila, aproveitamos para trocar moradas e números de telefone, sentar os filhotes na frente dos carros e mandar-lhes piparotes na cabeça quando eles tentam ir para o chão...

3- Aproveitar para falar ao telemóvel, já que é proibido fazê-lo, sem o equipamento autorizado por lei, enquanto se conduz... E, já agora, buzinar sempre que passa alguém conhecido, que imediatamente pára para uma amena cavaqueira in loco...

4- Acho que o meu preferido são as operações STOP realizadas mesmo entre uma saída e outra das rotundas. É giro: a Polícia não atrapalha nada nem ninguém, o pessoal fica sem perceber se é para parar e, se parar, se não vai ficar entalado entre os outros carros que circulam na rotunda... É mesmo giro!! Se bem que as nossas autoridades têm muita imaginação no que concerne a operações STOP: para eles, até uma saída de uma estrada nacional serve! Ali mesmo, naqueles 50 metros entre uma estrada e outra...

5- E corridas na rotunda? Daquelas que não deixam mais nenhum carro circular lá dentro? Eles até deixam os outros carros entrarem na brincadeira, mas quem tem prestações de automóveis a pagar, na maioria dos casos, não se atreve...

6- Afinal, enganei-me. O N.º 1 do meu TOP Rotundas vai para a colocação de passadeiras em toda a sua volta. Deve ser pelas mais variadas razões: para os que vão jogar futebol para os campos de futebol ovalados puderem fazer o aquecimento sem serem molestados; para as crianças que ali passam terem ainda mais probabilidades de serem atropeladas; para que os que param para dar passagem aos peões, levarem uma traseirada em plena rotunda...
Enfim, em termos de passadeiras nas rotundas, é o que se queira...

E, em termos de rotundas, aposto que se vão inventar muitas mais!!! Tanto utilidades como localizações.

Sim, porque é célebre o casal de Vieira de Leiria cuja casa onde moram é... Dentro de uma rotunda!!!

Só neste Paí­s...

14 dezembro 2003

Chegou o Saddam, foram-se os comentários... 

Como explicar isto?

Estou MUITO PORCA!!!!

Não é que este seja um blogg de sucesso por entre os milhares de bloggs existentes neste mundo virtual... mas já tinha alguns comentários, alguns até elogiosos, outros em que eu pedia uma resposta dos comentadores...

E eis que, chego aqui e, depois de estarmos fechados para manutenção, perdi tudo o que me tinham escrito!!! Que sensação de vazio... É como se tivesse publicado estes textos todos pela primeira vez, ou, pior que isso, é como se eles não provocassem qualquer tipo de feedback...

E logo no dia em que capturaram o Saddam Hussein! Quando eles anunciaram "We got him!", ainda pensei que estivessem a falar do primeiro, do Bin Laden... Mas não era do tio Sa(dda)m!!
Mas porque é que estes tipos não ficaram colados à televisão a ver os telejornais dos países deles e me deixaram ficar com os comentários que o blogg tinha???

Será que estavam a ver o Barco do Amor?? Pelo menos nessa série os episódios são mais curtos, também têm muitas histórias só que sempre com um final feliz...
Mas não, tinham que entrar em manutenção!!!

Ora, porque é que o nosso Governo não faz o mesmo? Esquecemos os comentários tristes feitos pelos nossos governantes e respectiva oposição e começamos tudo de novo, com uma sensação de vazio mas, pelo menos de esperança... De que melhores participações hão-de chegar!!

Que porcaria...

Até os comentários fecham para manutenção... 

Hoje não vou escrever nada...

Se os meus amigos estão impossibilitados de comentarem o que escrevo porque a parte Shout Out está fechada para manutenção, então também eu fecho para obras...

Afinal de contas, o que há de pior para o verdadeiro escritor se não a impossibilidade de obter por parte de quem o lê qualquer tipo de reacção?!?

Hoje protesto assim...

Que porca de vida... Será que vão censurar comentários? Ou será que vou perder todos os que já lá estavam??

Que porca de vida!!!

13 dezembro 2003

Danos colaterais de uma mulher grávida no seu grupo de amigos 

Hoje há jantarada cá em casa. Dia de Sporting, seguido de Benfica... Enfim, um punhado de boas razões para os homens do grupo cozinharem para nós - mulheres - para se redimirem de tanto futebol junto.

Somos seis pessoas e uma em projecto em fase de conclusão. Vai chamar-se Rita Miguel e, ainda dentro da barriga da mãe, já anda a dar com o pessoal em louco!!

Sim, porque quando existe um grupo de amigos é normal que todos sofram com as vitórias e as derrotas uns dos outros. Mas este grupo é muito especial: praticamente assumiu as futuras dores de parto da Tina.

Sempre bem tratada por todos, a Tina passou a receber tratamento super-especial: janelas fechadas para não se constipar, fumadores inveterados nas varandas para ela não levar com o fumo, mantinhas para se cobrir quando chega a esta casa invernosa e lugares privilegiados nos sofás das casas de todos nós.

Até aqui, nada de anormal: é o mínimo que se pode fazer por uma amiga, a primeira grávida do grupo. O pior é tudo o resto...

De repente, pessoas casadas e sem filhos, solteiras - com ou sem parceiro - são assomadas pelo toque agudo e forte dos seus relógios biológicos.
Sorte a da Rita Miguel, pois já que não há mais rebento para chegar entretanto, mergulhamos todos em lojas da especialidade para escolher as melhores chuchas, os pendentes para as chuchas mais adequados aos primeiros meses, os bonecos com as cores que - cientificamente provado - mais estimulam o intelecto... Em suma: virámos todos pais por osmose.

Depois existe o outro lado da questão. A Tina sempre foi uma bonita mulher. Mas grávida... Ai, ai... Grávida ela é a coisa mais bela que muitos de nós algumas vez vimos. O que traz uma questão muito séria.
É de senso comum dizer-se que uma mulher grávida é sempre uma mulher bonita, que a maternidade faz milagres nas mulheres, etc...
ATENÇÃO: pode, eventualmente, fazer muitos milagres mas um deles não é uma operação plástica total. Por isso, mulheres menos bonitas deste mundo, desenganem-se: não só não ficam mais bonitas como, ainda que isso aconteça por qualquer razão que a própria razão desconhece, isso só durará cerca de seis meses - os três primeiros não contam porque só se nota a gravidez quando se conta às pessoas que estão grávidas... e isso não vale.
E, depois do rebento conhecer o pessoal, há toda uma camada de tecido adiposo supérfluo que tem de se ir moer a qualquer ginásio.

Tudo isto para concluir que, pais por osmose, é do melhor que há!! Ou não, depende da opinião dos verdadeiros pais do futuro rebento.
Primeiro, porque se fica a saber de tudo e mais alguma coisa que se desconhecia até então acerca do mistério da maternidade. Perdem-se muitos medos, matam-se algumas fobias e desmistificam-se verdadeiras crenças aberrantes.
Segundo, porque quando chegar a nossa vez, podemos pedir montes de conselhos e livros emprestados aos estreantes nestas andanças.

Agora vem a parte porca da questão: os nossos pais, ao sentirem-nos pais por osmose, começam a reivindicar os seus próprios netos. Ora, isso não é uma daquelas coisas que se resolve em manifestações públicas, onde depois vem a polícia, bate no pessoal todo e a coisa morre por ali...

Conhecem alguém que trate clinicamente pais ansiosos por serem avós? Se sim, este blogg, e em nome do resto do grupo, agradece a vossa humilde contribuição.

12 dezembro 2003

Telejornais ou Barco do Amor: Você decide!!! 

Eu hoje não estou porca... ESTOU PORQUÍSSIMA!!!! Passo a explicar.

Há já algum tempo que cá em casa se deixou de ver os telejornais na hora das refeições.
Eu sei que isto nem parece coisa de jornalista, mas é a mais pura das verdades.

Antes do mais alguns esclarecimentos: Eu nunca sofri daquele síndrome (ou mera peneira) de membro da classe. Não defendo os da dita minha classe e juro-vos que, neste momento, me sinto - por todas as razões e mais algumas - muito mais próxima dos suí­nos do que de determinados humanos que - ainda por cima - se auto-intitulam de jornalistas do melhorzinho que há na praça. Até porque é sobejamente conhecida a enorme semelhança entre a anatomia suína e a humana...

Mas ia eu a explicar porque é que telejornais e refeições são duas coisas incompatíveis cá em casa.

Ponto 1: Nos telejornais de qualquer horário somos bombardeados com histórias narradas em tom de faca e alguidar que incluem muitos dos P's a que o nosso pobre paí­s está reduzido.
Senão, vejam:
- É uma pobreza pegada ver os pindéricos polí­ticos deste governo envolvidos em todas as polémicas e mais algumas que surjam;
- Casos de Pedofilia começaram a ser denunciados com a mesma frequência com que os comerciantes colocam letreiros de saldos para se livrarem da crise nos seus estabelecimentos (o que acho que deveria ter acontecido há mais tempo para poupar muito sofrimento a inúmeros inocentes... Tanto na pedofilia como no comércio);
- Histórias de Prostitutas de Bragança e de outras paragens que correm mundo como se fossemos o novo destino no mapa do turismo sexual;
- Pontes que caem, pontes que estão para cair e tristes seres humanos que se atiram das pontes, quer num suicídio voluntário quer em acidentes de viação;
- Todos os dias há centenas de novos ricos que viram Pobres, na mesma desproporção que um qualquer milionário vira multi-milionário;
- A nossa Polí­cia anda insatisfeita, e quem paga é o Povo...

Mas isto são só alguns dos nossos tantos outros P's que aparecem nos telejornais...

Ponto 2:Os jornalistas, em vez de terem vergonha na cara e deixarem de se armar em Zorros, publicitam casos de miséria humana tão grandes e tão graves que, muitas das vezes, se esquecem que são as próprias pessoas que não querem trabalhar e se deixaram arrastar até à situação em que se encontram.
A coisa está mal para empregos?? Pois está, mas há muito onde trabalhar e muitos com pouca vontade de dobrar a mola, vivendo encostados a rendimentos mini­mos e outras tristezas do género, pagas por todos nós. Agora, desculpem lá, mas tem que saír um daqueles P's mesmo á portuguesa: PUTA QUE PARIU!!!! LUTEM PELA VIDA COMO TODOS OS OUTROS FAZEM DIARIAMENTE AO INVÉS DE SE SENTAREM Á SOMBRA DA DITA DESGRAÇA !!!
Atenção: Tenho plena consciência que isto não se aplica a muitos casos... mas a uma grande maioria deles!!!

Ponto 3:Quem é que ainda tem paciência para ouvir falar de misérias nos telejornais??? Não são só as estatÃísticas que dizem que, em termos europeus nos estamos a afundar... O país está mesmo a entrar numa onda estranha que mais parece um tsunami e esquece-se que não tem curso profissional nem de surfista nem de nadador-salvador.
Ah pois é, e quem é que nos vem tirar desta????
E aquela de estarmos na cauda da Europa? Estas comparações animalescas dão-me vontade de rir... Porque não, em termos de UE não estamos na cauda; somos a pulga que lhes está no dorso e que tanta comichão lhes dá por não conseguir respeitar o mini­mo dos mini­mos no que quer que seja em que se tenha comprometido...

Ponto 4:E sabem que mais: JÃ NÃO POSSO OUVIR FALAR DA CASA PIA!!!!
Não é da instituição em si, que tem pessoas como todos nós e profissionais excepcionais a dar o seu melhor todos os dias, em cadeiras de fogo onde diariamente têm de se sentar para bem dos pequenos que deles precisam...
Estou farta deste chove não molha em torno do julgamento das P-Stars (interpretem como quiserem)...
E esta do Carlos Cruz? Para mim ele é inocente até ser julgado e considerado culpado,mas.... Daí­ a ter sido preso porque existia perigo de fugir com os euros dele deste paí­s para outro bem mais quentinho, e agora vir pedir indemnizações de vários milhões de euros nossos (pagos por contribuintes como eu e você)... Essa já é demais!!!

Haveria muitos mais pontos para focar, mas não vos vou maçar com eles hoje... Ficam para outro dia. Por hoje só resta mais um...

Ponto 5: Por tudo isto, em minha casa, há hora do telejornal, vê-se o Barco do Amor, que passa na SIC GOLD. Não é por mais nada, até porque muitos dos actores já morreram, o barco já fez a sua última viagem... Só a música diz tudo: «The Love Boat / Soon we'll be meeting another world / the Love Boat / Brings passion and love for everyone»...

Ah, cantem vocês o resto porque tudo é melhor a um telejornal dos de hoje... Mas, ainda assim, o da SIC Notícias são do melhor!!!!

Que porquíssima que estou hoje!!!

PS - Aquela coisa do Shoutout é para vocês clicarem e comentarem... Força, bacanos!!!
Vamos lá dar início à  revolta dos PORCOS!!!

11 dezembro 2003

Vá a um hipermercado perto de si... e perca o seu filho!!!! 

Nem tudo nesta vida é uma porca miséria - diz-me a minha parca experiência em suínos que existem outros casos de miséria para além das porcas, a saber: varrascos, leitões, porcas reprodutoras, and so on....

Vamos falar de amigos... Os que tenho são tudo menos porcos!!! São tão decentes e tão «tão sem palavras para os descrever» que a estas horinhas lhes estou a preparar um café com direito a After Eights e tudo!!!

Estou porca de saudades daqueles amigos que o foram a sério e que, sem quê nem para quê, mudam de número de telefone e partem para lado algum mas sem deixar rasto... Tipo lesmas secas...

Hoje nem estou assim muito porca da vida... Talvez só leitão. Pode ser que a noite me deixe tipo leitão da Bairrada, que é como quem diz, com um pouco mais de sabor, porque esta coisa do Natal... Não lembra ao diabo!!! Estou farta das mães que arrastam as criancinhas inocentes para centros comerciais a abarrotar - só para ver, porque são poucos os que andam a comprar alguma coisa - e depois perdem as crianças. Da última vez que estive numa dessas superficíes, em menos de dez minutos apareceram 3 criaturinhas aos berros e totalmente perdidas, com aquele alheamento nos olhos próprios de quem já nada espera e apenas desespera...

POVO: o Natal é tempo de união das famílias e não das perder no hipermercado!!!!
Weblog Commenting by HaloScan.com

This page is powered by Blogger. Isn't yours?