<$BlogRSDUrl$>

Um blog para todos os portugueses que se queixam da vida, num diário de uma Ex-jornalista que ... contava porcos como actividade profissional!! E como a vida nem sempre é tão cor-de-rosa como gostaríamos que fosse... Que o seja pelo menos aqui!

18 abril 2005

Rituais de condutora 

Há muito que não reparava nos pequenos pormenores que fazem a minha vida...
Hoje dei comigo a pensar nos meus tiques de condução. Ou melhor, antes, durante e depois de conduzir.

É tipo missal, tudo muito pré-definido, quer esteja atrasada para o emprego, quer esteja com meia hora de avanço em relação há hora de entrada (trabalho a 5 minutos de casa...).

Eis o rol de rituais:

1 º Abrir as portas da viatura para descobrir onde é que a deixei na noite anterior
Não é que não saiba, mas evita o "esforço" de ter de me lembrar. Talvez isto aconteça porque só "acordo" por volta das 10.30 da manhã....

Aproximação à viatura pelo lado do "pendura"
Isto é algo que ainda não consegui evitar, pois quando me lembro já o fiz: ir ao lado do passageiro, abrir a porta e pôr lá a mala com a bolsa onde está o tabaco virada para fora e o fecho encostado ao banco (como se tentasse, desta forma, evitar ser assaltada, quem sabe, por mim mesma....)

Sentar, tirar um cigarro e perder 5 minutos à procura do isqueiro
Tenho sempre um isqueiro no bolso de qualquer casaco que vista, mas insisto sempre em procurá-lo na mala e... "mala de gaja", como diz o meu marido, é local onde se encontra de tudo menos o que se procura.
E isto para não falar que o meu carro ainda é daqueles que vem com isqueiro incorporado (sim, porque até isso já é uma opção...)

Colocar o rádio na TSF e tirar-lhe o som
Eu nunca vos disse que era uma pessoa normal, pois não?
Também penso muitas vezes porque faço isto, mas só quando já o fiz é que me dou conta desta tara parva... Até tenho "Best Of " dos Guano Apes no leitor de CD's, que eu amo de paixão e, ainda assim, é sempre a mesma coisa quando me sento ao volante...

Abrir as duas janelas até meio
Às vezes dou comigo a pensar que nem assim acordo de vez.
É uma coisa que faço seja Verão, seja Inverno: ir de janelas abertas, a fumar logo de manhã. E, quando chove, chove-me em cima, que o meu carro é de design tão moderno que não puseram aquele rebordo por cima das janelas que evita que um gajo se molhe todo quando abre o raio do vidro...

Esta deixa-me introspectiva...
Rezar. É mesmo isso que leram: Rezar a caminho do emprego.
Rezar porque me faz acreditar que talvez isso faça com que o meu patrão escolha outra vítima para implicar neste dia; rezar para que o telefone do meu marido toque e ele me dê boas notícias; rezar para quando o meu telefone toca não serem os meus pais com más notícias acerca da saúde deles; rezar porque sim.
Às vezes pergunto-me porque m**** não vou a ouvir os Guano Apes e a cantar a plenos pulmões, porque até comprei o CD há pouquíssimo tempo.
Mas não... Rezar.

Estacionar o carro onde o patrão me proibiu de o estacionar
O senhor até já deixou há muito de implicar comigo por causa disto mas eu, ainda assim, não percebo porque é que estaciono sempre o carro onde sei que não está suposto estacioná-lo. É uma coisa mesmo inconsciente. Talvez um dia o patrão me "multe" e eu perca esta tara (in)consciente.

Deixar metade das coisas que estavam na mala no chão do carro
Todos os dias. Isto acontece todos os dias: a mala vira-se com as curvas do caminho, eu sei que me cai uma estupidez de coisas para o chão... Mas não, só quando já estou a meio caminho entre o carro e a porta do escritório é que volto atrás para ir buscar o que deixei no chão do carro.


E é isto todos os dias.
Quatro vezes por dia no mínimo, pois quando não é a ir para o emprego é no regresso a casa.

Serei a única a ter estes rituais parvos quando conduzo?

Bem, pelo menos não tiro macacos do nariz, o que parece ser a tara nacional...
Eu tenho sempre lenços de papel na mala... Isto é, quando eles não caem no chão...
Weblog Commenting by HaloScan.com

This page is powered by Blogger. Isn't yours?